LE LIS BLANC LANÇA COLLAB COM ECOARTS AMAZÔNIA

Foto: Divulgação/ Lufré

A Amazônia é fonte de vida — é o tema da nova collab da Le Lis Blanc, uma parceria inédita com a Ecoarts Amazônia. A união chega com o propósito de contar histórias sobre a maior e mais famosa floresta nativa do mundo, por meio de roupas, acessórios e peças de decoração que unem design e natureza, sensibilidade e beleza.

A campanha da collab tem como pano de fundo todo esplendor da Amazônia mato grossense, e traz supermodelo Laís Ribeiro usando vestidos, chemises, calças, blusas e saias que refletem leveza e fluidez, com shapes amplos e o toque único de fibras naturais como a seda e o linho. A collab Le Lis Blanc e Ecoarts Amazônia já está disponível.

Foto: Divulgação/ Lufré

ECO ARTS | AMAZÔNIA

“CONHECER PARA PRESERVAR”

A Coleção

O mito, a mata, o rio, o mais rico ecossistema, a maior biodiversidade. Milhares de espécies e incontáveis sementes. A Amazônia é fonte de vida — e o tema da nova collab da Le Lis Blanc, uma parceria inédita com a Ecoarts Amazônia. Desta união, um propósito: contar histórias sobre a maior e mais famosa — mas também a menos conhecida — floresta nativa do mundo, por meio de roupas, acessórios e peças de decoração que unem design e natureza, sensibilidade e beleza, com impacto cultural, social e ambiental.

Foto: Divulgação/ Lufré

Na cartela de cores, a crueza da palha, o ar rústico do jenipapo e a ousadia do urucum. Como detalhe, a castanha do Brasil, o açaí e outras sementes — amuletos de sorte e proteção usados como base para acessórios e botões. Ainda entre o que só a terra nos dá, a palmeira deburiti, um símbolo de resistência e esperança eternizada por Guimarães Rosa no livro Grandes Sertão: “Buritis altos, cabeceira de vereda”.

A narrativa completa se dá pelas estampas. Por um lado, a figura da onça-pintada e dos pássaros como a Cigana, o Pavão do Pará e o Beija-flor — este um sinônimo de amor incondicional e portador de boas notícias. Por outro, a representação das medicinas da floresta — conhecimento ancestral que faz parte de seu patrimônio imaterial –, das sementes, frutos e plantas nativas da Amazônia em ilustrações originais dos artistas Decourlitz e Emilio Goeldi. Por fim, desenhos de mapas criados ao longo dos séculos XVI e XVIII que alimentaram as representações dos homens, dos rios e da floresta.

Foto: Divulgação/ Lufré

Entre as peças da coleção, vestidos, chemises, calças, blusas e saias que refletem leveza e fluidez, com shapes amplos e o toque único de fibras naturais como a seda e o linho. A tradução de uma sofisticação fácil que marca o encontro entre o atemporal e o contemporâneo.

Ao adquirir uma peça da coleção Amazônia, se está assegurando a valorização da população local, da biodiversidade, bem como a preservação de milhares de árvores da floresta amazônica. Objetos para a Casa e Acessórios da coleção Amazônia foram feitos à mão por artesãs, beneficiando comunidades no Mato Grosso, Pará e Goiás. Parte do lucro gerado com a venda da coleção é destinada ao replantio de árvores frutíferas amazônicas dentro do Projeto Floresta de Alimentos da Ecoarts. Já foram plantadas 5 mil árvores que irão capturar 700 toneladas de CO2.

 

Sobre a ECOARTS AMAZÔNIA

Há 15 anos, dentro de uma família de terceira geração de pioneiros do estado do Mato Grosso, nascia a Ecoarts Amazônia. O trabalho da entidade começou com uma mudança no olhar sobre o chão da floresta e no valor de tudo que caía no solo: sementes, cipós, raízes. Tudo aquilo era considerado inutilizado passou a ter um significado, fazendo parte de um processo inovador de transformação até chegar no produto final. Com o objetivo de criar viabilidade para a floresta em pé, seguindo a lei ambiental que prevê a preservação de 80% de área de floresta nativa, surgiu a ideia de transformar resíduos florestais em peças de design e arte.

Sem fins lucrativos, a entidade cresceu e conta hoje com o envolvimento direto de mais de 300 famílias e 55 artesãos, que são beneficiados no processo. Eles trabalham na coleta dos resíduos florestais, passando pelo tratamento, produção e venda. No Studio Ecoarts, são desenvolvidas collabs com marcas lideres. Além da Le Lis, já foram realizadas parcerias com a marca portuguesa Vista Alegre e a italiana Emporio Armani. Parte de todas as vendas da Ecoarts são revertidas ao plantio de árvores frutíferas nativas pelo Projeto Floresta da Alimentos, na Amazônia Legal brasileira.