Igara: Leblon vai ganhar residencial com terraço-jardim no topo e tecnologia

Bait lança Igara no final de novembro. Incorporadora vem se destacando com seus projetos de imóveis de alto padrão, em localidades privilegiadas da Zona Sul, atraindo moradores e investidores que apostam na melhor adequação dos espaços ao estilo carioca de ser e viver. O projeto terá o melhor da arquitetura e tecnologia, com a qualidade de vida de um local bucólico; e também perto da praia e do burburinho do bairro mais desejado da cidade 

Foto: Fachada noturna iluminada ressalta tons terrosos do Igara

A Bait está lançando seu sexto residencial no Rio de Janeiro: o Igara, com 16 unidades de 2 quartos disponíveis, sendo duas coberturas duplex. Localizado numa esquina privilegiada da Rua Igarapava, na parte baixa do Alto Leblon, o Igara tem marca, design, arquitetura e decoração inspirados na brasilidade do nome das ruas do entorno, trazendo para o projeto suas cores e tons, tramas e texturas.

Combinado com o projeto de paisagismo e áreas naturais ao redor, o Igara foi concebido para quem deseja viver em um local calmo e bucólico, cercado de natureza e verde – um verdadeiro refúgio exclusivo, mas a apenas alguns minutos do mar ou da movimentada Dias Ferreira, com seus restaurantes e bares. Está perto também do Baixo Leblon e do Baixo Gávea.

O projeto de arquitetura é da Cité Arquitetura, com interiores de Manga Rosa Arquitetura e paisagismo da Embyá.

Para este empreendimento, uma novidade é que a Bait aceitou o desafio de adquirir um prédio antigo e construir no terreno um residencial totalmente novo. A tarefa se enquadra no foco da Bait, de realizar lançamentos nos locais mais privilegiados dos melhores bairros do Rio de Janeiro. Criada por Henrique Blecher, Eduardo Tkacz, Amanda e David Klabin, a essência da Bait Incorporadora é ressignificar o conceito de moradia urbana carioca, mesclando harmoniosamente sofisticação e leveza, conforto e praticidade, qualidade e tecnologia em residências com preços mais acessíveis dentro do mercado de alto padrão.

Por isso, o Igara mantém a mesma linha de tecnologias dos empreendimentos já lançados, como o Bossa e o Vinícius, em Ipanema, o Meet e o Ivo, em Botafogo, e o Atlantico, em Copacabana: infraestrutura pronta para internet das coisas (IOT), tomadas para carros e bicicletas elétricas, fechaduras inteligentes e muita segurança pelos mais modernos dispositivos para controle de portaria remota.

Dentro deste “manifesto” que marca o jeito Bait de empreender, um ponto marcante dos projetos lançados são varandas com fechamento de vidro retrátil integradas às salas, proporcionando muito mais luminosidade natural, ventilação e sensação de liberdade, além do melhor aproveitamento dos espaços. No Igara, todas as unidades possuem varandas integradas a salas e quartos.

“Queremos que as pessoas se sintam em ambientes livres com a sensação de estarem em uma casa, valorizando as soluções arquitetônicas, de materiais e a natureza bucólica da Rua Igarapava. Transformamos espaços em locais prazerosos de se viver. Esse tem sido um dos motivos de sucesso de venda das nossas plantas. As áreas são muito bem pensadas, as tecnologias são incríveis, o design apaixonante e o preço, acessível”, conta Henrique Blecher.

 

Terraço-Jardim

No Igara, o Terraço-Jardim, localizado acima das coberturas, será um ambiente de interação e bem-estar para todos os moradores. Terá uma horta, jardins com espécies da vegetação litorânea, de restinga e ainda uma área de contemplação da paisagem do entorno, com uma vista privilegiada para o mar.

Arquitetura em detalhes

Segundo o arquiteto Celso Rayol, da Cité Arquitetura, como o Projeto Igara tem inspiração do nome das ruas que o ladeiam, como Igarapava – um termo de origem tupi que significa “Porto de Canoas”, e Sambaíba, arbusto sarmentoso nativo do Cerrado do Brasil – a Cité Arquitetura parte da ideia da força da árvore como conceito, de um elemento equilibrado: a raiz que busca o solo e a copa que busca o céu.

“Isso é evidenciado pelas cores que vão dos tons mais terrosos e escuros na parte do embasamento, a tons mais claros e suaves na parte de cima do edifício, remetendo à terra. Com essa relação, a grande copa dessa árvore seria o próprio edifício, onde um delicado elemento de gradil transmite a ideia desse fechamento em galhos, que acolhe e protege”, explica Rayol.

Interiores

O projeto de interiores parte de um desejo de viver de forma mais leve, com menos. Sem exageros ou desperdício de recursos, criando um conceito aconchegante, com elementos simbólicos de exaltação ao ambiente natural. As cores e texturas escolhidas são bem brasileiras. Da madeira ao linho, os mobiliários se revestem de marcas orgânicas, o que dá o tom ao estilo contemporâneo minimalista tropical.

As tabelas de vendas oferecem possibilidade de pagamento facilitadas. Durante a obra, o comprador pagará 50% do valor e o restante pode financiar com os juros mais baixos dos últimos anos. Preços a partir de R﹩ 1.800,00 o metro quadrado. O Valor Geral de Vendas (VGV) é de R﹩ 45 milhões.